quarta-feira, 23 de maio de 2012

O Rio do Amor Eterno de Barbara Cartland


Diversos

Um amor pode transcender o tempo? O duque não saberia dizer por que queria visitar o templo de Luxor sozinho. Desde sua chegada um estranho impulso, uma espécie de predeistinação, o fazia seguir pelo rio Nilo, na direção das ruínas. Agora, ali estava, entre os altos pilares banhados pelo sol poente. E a mulher a sua frente parecia uma visão. Dasher aproximou-se dela e disse: “Quando a vi, pensei que não fosse real, mas um rosto esculpido na pedra da coluna em que estava recostada. O rosto de alguém que havia vivido aqui milhares de anos atás”. A moça levantou para ele os olhos incrivelmente azuis e respondeu, com voz suave e musical: “Sei que vivi. E o senhor... também!”.
Diversos

Sem comentários:

Enviar um comentário